Mensagem aos Visitantes

Olá, querido visitante, se você ama a Palavra de Deus, espero que você goste deste blog. Aqui serão publicados estudos, informações, comentários importantes exclusivamente sobre o apocalipse e espero que seja uma bênção para sua vida. Na medida do possível, poderemos esclarecer dúvidas que envolvem esse livro cheio de mistérios. Caso queira, envie suas perguntas clicando na palavra comentários logo abaixo da mensagem. Com o propósito de mantermos a seriedade deste trabalho, nos reservamos no direito de não publicar perguntas ou comentários que ferem a ética cristã, bem como os que tendem à discussão polêmica.
Deus o abençoe!
Walter Ponci


quarta-feira, 3 de junho de 2009

AS DUAS TESTEMUNHAS

Desde Adão e até o fim dos tempos, Deus nunca deixa de dar oportunidade aos homens para que se arrependam de seus pecados e se salvem. Nos primeiros tres anos e meio da tribulação, o arrependimento é anunciado pela igreja que não foi arrebatada, mas morrerão pela perseguição.
na segunda metade da tribulação não haverá quem anuncie a salvação, pois permanecem na Terra somente homens adoradores da Besta.

Estamos estudando o segundo período da tribulação onde os homens estão todos marcados pela besta e adorando a sua imagem. Como esses homens não podem anunciar a mensagem de salvação, então Deus manda dois profetas, os quais são chamados de suas testemunhas, para que eles sejam os porta-vozes da mensagem de salvação (Apoc.11:1-13).

A visão começa com um anjo dando a João uma cana semelhante a uma vara para medir o santuário. A cana é um instrumento de medição e a vara é um instrumento de punição. As duas testemunhas irão ao mesmo tempo anunciar a mensagem, julgar e castigar os homens nesses três anos e meio. O versículo 3 diz que as duas testemunhas terão poder durante mil duzentos e sessenta dias, que correspondem aos três anos e meio que faltam para terminar o período da tribulação.

Deus dá a esses homens, autoridade total e os mantém imunes durante esses anos (Apoc. 11:5-7). Os poderes que eles receberão de Deus serão semelhantes aos poderes dados a Moisés no Egito, e também a Elias, assim, eles poderão fazer chover, ou parar de chover, poderão ordenar terremotos e estouro de vulcões, enfim farão o que quiserem para castigar os homens que não ouvem mensagem de Deus para a salvação, tal como Moisés fez com o Faraó (Apoc. 11:6).

Quando terminar os três anos e meio, Deus irá permitir que a besta mate essas duas testemunhas, e os seus corpos ficarão insepultos na praça durante três dias e meio. Eles afligiram tanto os homens com suas pragas, que agora os homens vendo-os mortos, fazem festas e chegam a trocar presentes entre si (Apoc. 11:9-10).

Depois dos três dias e meio, Deus faz com que esses dois homens ressuscitem e sejam elevados ao céu para junto de Deus. Vendo isto os homens ficam atemorizados, acontece um terremoto e morrem sete mil homens na cidade. As duas testemunhas estarão ativas durante os três anos e meio da tribulação, porém a morte delas ocorrerá após o soar da sétima trombeta.

QUEM SERIAM ESSAS DUAS TESTEMUNHAS?

Muitos acreditam e ensinam que esses dois homens são Moisés e Elias, porque foram estes dois que apareceram junto com Jesus no monte onde houve a transfiguração, e porque eles ordenaram no passado as mesmas pragas que acontecerão na tribulação. Nós não podemos crer e nem aceitar que um deles seja Moisés, apesar de que Moisés tenha feito os mesmos milagres no Egito e apareceu junto de Jesus, pelo simples fato de que Moisés morreu (Deut. 34:7-8). Acabamos de ver que as duas testemunhas também morreram, portanto Moisés não poderia nascer e morrer duas vezes. A Palavra de Deus ensina que aos homens está destinado morrer uma vez (Hebr. 9:27).

Em Apoc. 11:4, João identifica essas duas testemunhas como sendo as duas oliveiras e os dois candeeiros que estão diante de Deus. O profeta Zacarias fala sobre essas duas oliveiras diante de Deus (Zac. 4:2-3 e Zac. 4:11-14). Quando Zacarias pergunta quem são essas duas oliveiras, Deus responde dizendo que são os dois ungidos que assistem junto ao Senhor.

Elias e Enoque foram os únicos homens que não morreram, mas foram arrebatados ao céu estando vivos (veja os textos em Gen. 5:24; Hebreus 11:5; 2Reis 2:11). Eles, que hoje estão diante de Deus sem terem experimentado a morte, irão voltar à Terra como testemunhas do Senhor para falar aos homens. E depois serão mortos para em seguida serão ressuscitados da mesma forma que a igreja.

Não temos dúvida que as duas testemunhas do apocalipse serão Elias e Enoque.

Walter Ponci

9 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Walter.

Parabéns pelo Blog. Tem sido edificante na minha vida pois sou Professor de Escola Bíblica em minha Igreja.

Minha questão é: Se seriam Enoque e Elias e não Moisés, porque a palavra diz que em Judas o Anjo Miguel lutou com Satanás pelo Corpo de Moisés? Texto este retirado do Apócrifo chamado ´´Assunção de Moisés``.

Desconheço o conteúdo deste apócrifo mas sei que a epístola de Judas usa textos apócrifos tanto o citado acima como também nas referência de Enoque.

Voce poderia me ajudar com a compreensão de que se Moisés não será uma das testemunhas, o porque o próprio Santanás brigou com o Anjo pelo seu corpo? Alias diz que...não se sabe até hoje o lugar da sepultura de Moisés.


Abs

Pedro Marques

Walter Ponci disse...

O fato de Satanás disputar o corpo de Moisés com Miguel está registrado em Judas.1:9. Veja bem, esta disputa pelo corpo de Moisés não significa em absoluto que Moisés não tivesse morrido. Com toda certeza a disputa foi pelo corpo já morto de Moisés e não pelo corpo vivo. A bíblia é bem clara quando diz que Moisés morreu, e quanto a isso não há a menor dúvida. Veja o texto bíblico:

Dt.34:5 Assim, morreu ali Moisés, servo do SENHOR, na terra de Moabe, segundo a palavra do SENHOR. 6 Este o sepultou num vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; e ninguém sabe, até hoje, o lugar da sua sepultura. 7 Tinha Moisés a idade de cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escureceram os olhos, nem se lhe abateu o vigor. 8 Os filhos de Israel prantearam Moisés por trinta dias, nas campinas de Moabe; então, se cumpriram os dias do pranto no luto por Moisés.

Ora, se Deus ocultou o local da sepultura de Moisés, por que devemos insistir em afirmar que Moisés não morreu? Teria porventura Deus sepultado Moises ainda vivo? Evidentemente que não.
Deus ocultou o local da sepultura de Moises por uma razão muito simples de entender. Moisés era, e ainda é, considerado um homem de extrema importância para o povo judeu visto que ele foi o porta voz das leis que os judeus legalistas seguem até hoje. Devido a essa importância, se o seu corpo, fosse encontrado, seria objeto de culto e idolatria até hoje. Será que Satanás também não estaria interessado nisso? Deus é sábio e sabe o que faz, e se escondeu a sepultura de Moisés é porque havia razão para isso. Portanto, se Moises morreu, jamais poderia ser uma das testemunhas. Os únicos dois homens que com toda a certeza não morreram foram Elias e Enoque.

Walter Ponci disse...

IMPORTANTE: nunca elaboramos ensinos ou doutrinas com base nos escritos apócrifos, pois, o simples fato de serem apócrifos não são dignos de confiança, caso contrário fariam parte das escrituras sagradas. Também não cremos que Judas tenha se baseado num livro apócrifo para escrever sua epístola, pois se assim fosse, o livro de Judas também seria um apócrifo.

Rafael Vianna disse...

A paz Walter, Gostaria de entender melhor a respeito das duas testemunhasm com base em que eu posso afirmar que serão Enoque e Elias, somente porque foram transladados, e como poderiam eles terem ido pro céu, se o caminho ainda estava fechado e como eu posso explicar este texto Jo 3.13. E eu poderia afirmar que as duas testemunhas serão dois homens Judeus normais que serão usados por Deus? A té porque eu vejo o arrebatamento de Enoque e Elias, como as maiores figuras do Arrebatamento da igreja.
E também como estão diante de Deus, se para estarmos diante dEle prcisamos passar pela transformação de nossos corpos como disse Paulo 1Co 15. 51-55.
Desde já o meu agradecimento.
A paz!

Rafael Vianna

Walter Ponci disse...

O texto de 1Cor.15:50-52 declara que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus, por isso é que há necessidade da transformação dos corpos. O Reino de Deus neste texto corresponde à vida na eternidade após o juízo final conf. Apoc. Capítulos 21 e 22. Elias e Enoque ainda não estão vivendo neste ambiente chamado reino de Deus. O lugar onde eles estão ninguém sabe, a única certeza que temos é que estão sendo preparados diante de Deus conforme lemos em Zac.4:14. Não podemos nos esquecer de um detalhe: Estes dois homens não morreram e foram levados vivos aos céus onde permanecem vivos já há centenas de anos, e onde estão, com toda certeza não necessitam de se alimentar, nem de beber água e nem respirar. Como podem estar vivos? É evidente que Deus com todo seu poder e soberania, mantém estes dois corpos transformados de uma forma especial. Porque temos certeza de que estes dois, Elias e Enoque são as duas testemunhas? Em primeiro lugar excluímos Moises como sendo uma das duas testemunhas porque ele efetivamente morreu e não poderia morrer novamente. Outro fato que nos leva a este entendimento é a comparação dos textos Zac.4:14 com Apoc.11:4. que deixam claro a existência de dois homens ungidos diante de Deus. E por fim o fato de Elias e Enoque serem os únicos homens declarados na bíblia como terem sido trasladados vivos aos céus. Deus não faz nada sem um propósito, e a trasladação desses dois homens fica bem evidente que foi para essa missão das duas testemunhas. Se não aceitarmos este fato, necessitaríamos descobrir o motivo da trasladação desses dois homens. Com relação a João.3:13, é necessário nos desvincularmos da idéia de que a palavra céu se refere unicamente ao reino de Deus na eternidade. Por exemplo, em Gn.1:8, o céu é o espaço físico entre a terra e as nuvens. Paulo fala do terceiro céu, indicando que existem o primeiro e o segundo. Outro céu é onde João foi arrebatado conf. Apoc.4:2. Quando Jesus fala ao ladrão sobre o paraíso, está se referindo a outro céu onde vão os espíritos dos mortos salvos. Portanto não podemos generalizar o céu como sendo um único lugar físico ou espiritual. Até agora ninguém tem condições de explicar o que é e onde se localiza cada um desses “céus” mencionados na Bíblia. É evidente que João.3:13 e 2Rs.2:11 não se referem ao mesmo céu.

JULIO DORNELES disse...

Hebreus 11:5 Pela fé Enoque foi trasladado PARA NÃO VER A MORTE... Só por esse motivo que não creio que Enoque seja uma das duas testemunhas, pois elas serão mortas. Parabéns pelo seu blog

Walter Ponci disse...

O capítulo 11 de Hebreus é um texto específico para tratar sobre a fé. Com o intuito de realçar a importância da fé, o autor cita várias personalidades bíblicas relatando as bênçãos recebidas, pois eram consideradas exemplos de fé. Assim cita Abel, Noé, Abraão, Sara, e outros. Enoque também foi mencionado e a benção dele foi não ter experimentado a morte como todos os demais homens que tem morrido e morrem até hoje, tanto é assim que está vivo até os dias de hoje. Temos que considerar que o texto não especifica o fato de que ele nunca mais morreria. O verso 13 diz que todos morreram sem terem recebidos a promessa, realçando ainda mais a fé. O texto de Hebreus.9:27 também diz que os homens devem morrer uma vez: (Hebreus 9:27 E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo). A Palavra de Deus também diz que o salário do pecado é a morte, portanto todos os pecadores passarão pela morte e Enoque não era um homem sem pecado para ficar isento da morte, pois o único nestas condições foi Jesus. A Palavra de Deus também diz que carne e sangue não herda o reino de Deus. Enoque ainda está com seu corpo original, carne e sangue, de natureza pecaminosa, portanto ele precisará morrer e ressuscitar para receber um corpo glorificado e espiritual para entrar definitivamente no reino de Deus. Enoque está vivo em condições especiais concedidas por Deus que não cabe a nós tentar explicar, ele ainda não está no Reino de Deus, mas na Sua presença. Observe que um único versículo isolado, não pode contradizer o contexto bíblico. Quando isso parece acontecer, significa que o texto contraditório está mal interpretado, pois não há contradições na Palavra de Deus. Se a intenção de Deus era premiar Enoque com a imortalidade do corpo, então os demais citados no texto, Noé, Abraão, Sara, e os outros, também deveriam ter sidos trasladados. Portanto, Elias e Enoque, que ainda não experimentaram a morte, um dia terão que morrer e ressuscitar como todos os homens.

Daniela Cardoso disse...

se o senhor,meu irmao diz que,moises morreu e Elias nao morreu,e o corpo de elias e de Enoque estao em lugar special,como pois entao na tranfiguraçao o Moises e Elias aparecem juntos de Jesus,sendo que um esta morto eo destino dos mortos é um e Elias esta vivo e o destino do corpo dele esta num lugar especial distinto do corpo de Moises,entao como o irmao me explica a participaçao de um morto com um vivo neste assunto.E porque nao a participaçao na transfiguraçao Elias e Enoque.Obs.:nao estou contestando eu só quero a explicaçao de algum renomado como o senhor meu irmao.o seu blogger é uma oportunidade singular.

Walter Ponci disse...

Este episódio da transfiguração de Jesus e a aparição de Moisés e Elias registrado em Mateus.17:1-13 e em Lucas.9:28-36 é um grande mistério. Não se sabe exatamente por que esse fato aconteceu, qual foi a finalidade e qual o ensino teológico inserido naquele acontecimento. Conhecemos inúmeros comentários, porém são conjecturas. O meu entendimento é o seguinte: Não creio que Moisés e Elias estivessem realmente ali em carne e osso, pois isso contraria a própria Palavra de Deus que ensina que quem já morreu não pode voltar conforme ensino na parábola do rico e do Lázaro. Isto pode até se confirmar pelo fato de eles terem desaparecidos envoltos numa nuvem. Diante disso, o mais provável seria que os três discípulos na verdade tiveram uma visão de Moisés e Elias, portanto, eles não precisariam estar necessariamente presentes em carne e osso. É bem verdade que para Deus nada é impossível e não podemos julgar uma ação de Deus só porque não combina com a nossa lógica, contudo, para mim prevalece o fato de que Deus jamais pode contrariar a sua própria palavra apesar do seu poder soberano. Um fato interessante é que os discípulos nunca viram nem Moises e nem Elias pessoalmente e não havia fotos ou pinturas, como então eles reconheceram que eram Moises e Elias? Isto também nos leva a crer que foi uma visão e Deus, nesse milagre, fez com que os discípulos reconhecessem os dois homens.