Mensagem aos Visitantes

Olá, querido visitante, se você ama a Palavra de Deus, espero que você goste deste blog. Aqui serão publicados estudos, informações, comentários importantes exclusivamente sobre o apocalipse e espero que seja uma bênção para sua vida. Na medida do possível, poderemos esclarecer dúvidas que envolvem esse livro cheio de mistérios. Caso queira, envie suas perguntas clicando na palavra comentários logo abaixo da mensagem. Com o propósito de mantermos a seriedade deste trabalho, nos reservamos no direito de não publicar perguntas ou comentários que ferem a ética cristã, bem como os que tendem à discussão polêmica.
Deus o abençoe!
Walter Ponci


quinta-feira, 4 de junho de 2009

CRONOLOGIA DO APOCALIPSE

Uma das causas pelas quais o entendimento do livro do Apocalipse se torna difícil, além dos símbolos, é que a ordem da narrativa escrita, nem sempre corresponde exatamente à mesma ordem cronológica real dos fatos narrados. O leitor que não atentar para esse detalhe terá grande dificuldade em entender os fatos relatados no livro sob o ponto de vista histórico.

De acordo com a forma como está escrito, podemos concluir que João teve vários lances de visões em períodos separados, e não uma única visão total. São várias visões e várias mensagens que necessitam ser não só interpretadas, mas também ordenadas para serem entendidas.

Em Apoc. 1:10 João diz que foi arrebatado em espírito e em seguida ele tem a visão das mensagens dirigidas às sete igrejas da Ásia.
Em seguida, em Apoc. 4:1, ele diz que viu uma porta no céu e alguém o chamou, e ele foi novamente arrebatado em espírito. Isto significa que ele foi arrebatado ao céu duas vezes. Portanto até aqui podemos observar que ele teve dois lances de visões vistas do céu.
Em Apoc. 13:1 ele diz que se pôs sobre a areia do mar, e tem novas visões vistas da terra.

Não podemos dizer quantas vezes isto aconteceu e nem qual o intervalo de tempo entre as visões, mas é certo que não foi uma única visão de uma só vez.

Podemos também observar os seguintes aspectos nas visões que João teve:

a) Ele viu separadamente, vários fatos que aconteceram simultaneamente, porém em lugares diferentes, que evidentemente tinham que ser relatados separadamente podendo nos dar a impressão de que os fatos eram consecutivos. Por exemplo, ao mesmo tempo em que surgem a besta e o falso profeta e instalam o reino na terra (Apoc. 13), os 144.000 são assinalados e vistos no monte Sião (Apoc. 7 e 14). Para melhor entendimento e a título de exemplo, seria como que se alguém conseguisse ver ao mesmo tempo, algo acontecendo no Brasil e no Japão no mesmo dia e mesmo horário.

b) Ele viu acontecimentos iguais sob ângulos diferentes. Cada vez que acontecia algo no céu, ao mesmo tempo havia uma conseqüência na terra. Como as visões e os relatos são separados, podem dar-nos a impressão de serem fatos diferentes e consecutivos. Por exemplo, a cada trombeta tocada, acontecia algo visto do céu que correspondia exatamente a cada taça derramada com algo acontecendo visto da terra. Os fatos ligados às trombetas e taças eram simultâneos, porém vistos de ângulos diferentes. Para melhor entendimento, seria como que se alguém conseguisse ver ao mesmo tempo, um jogo de futebol olhando por cima nas arquibancadas e ao mesmo tempo ver o mesmo jogo olhando por baixo no banco dos reservas ao mesmo nível dos jogadores.

Vejamos outros detalhes que nos levam a entender que a ordem da narrativa não corresponde à mesma ordem cronológica:

O capítulo 13 narra o aparecimento da besta e do falso profeta que, no entanto, já estavam atuantes desde o capítulo 6 na abertura dos selos.

O capítulo 4 mostra a igreja arrebatada diante do trono, no entanto o arrebatamento está narrado no capítulo 12.

O capítulo 18 aponta para o passado: CAIU - Verso 2; para o presente: SAI DELA - verso 4; e para o futuro: SERÁ LANÇADO - verso 21.

O capítulo 18 também narra a queda do reino da besta, que só acontece definitivamente no capítulo 19.

O juízo final está narrado no capitulo 20 e pode ser visto também nos versos 18 e 19 do capítulo 11

Em Apoc. 7:3, o anjo recebe uma ordem para não danificar a terra antes dos 144.000 serem assinalados, no entanto, em Apoc. 6:14 já vemos a narrativa de um cataclismo na terra.

Vamos agora fazer uma análise muito importante no conjunto de narrativas de todo o livro. Fique com sua Bíblia aberta no livro do Apocalipse para acompanhar estas observações.

Antes porém, é importante lembrar como já falamos, que o número sete na Bíblia simboliza a plenitude de Deus, ou seja, Deus completa uma determinada obra dentro de um sete.

Até o capitulo 11 podemos observar de um modo geral, uma seqüência cronológica da seguinte forma:

Nos capítulos 1 ao 3 vemos a introdução e as mensagens às igrejas.
Nos capítulos 4 e 5 são vistos os santos na glória e o livro selado com sete selos.
No capitulo 6 são abertos os seis primeiros selos do livro.
No capitulo 7 são vistos os 144.000 sendo selados e os mártires.
No capítulo 8 é aberto o sétimo e último selo e são tocadas as primeiras seis trombetas (obs. as sete trombetas estão diretamente relacionadas com o sétimo selo, como se fossem sete capítulos dentro da sétima página do livro).
No capitulo 9 são tocadas as quinta e sexta trombetas.
No capítulo 10 há um parêntesis com a visão do livrinho.
Finalmente, no capitulo 11 há a narrativa das duas testemunhas e é tocada a sétima e última trombeta.

Note que, até aqui, já foram abertos os sete selos e, tocadas as sete trombetas. Considerando que o sete encerra um determinado plano completo de Deus, podemos então concluir com toda certeza que aqui, no capítulo 11, terminam todas as atividades do período da tribulação, vindo em seguida o milênio e o juízo final.

E o resto do livro, referentes aos capítulos 12 até o 22, onde se encaixam?

Acontece que toda a narrativa da tribulação vista do ponto de vista do céu está contida nos capítulos 4 ao 11.

Agora João escreve novamente, repetindo toda narrativa da tribulação do ponto de vista da terra. Em Apoc. 13:1 João diz que se viu sobre a areia do mar, ou seja, aqui embaixo na terra, enquanto que no capitulo 4 ele tinha recebido uma ordem para subir ao céu.

O capítulo 12 descreve o arrebatamento da igreja que estava na terra.
No capitulo 13 está narrado o aparecimento da besta e do falso profeta.
No capitulo 14 são vistos os 144.000 na terra já assinalados pelo anjo.
O capitulo 15 narra a visão das taças.
Finalmente no capitulo 16 são derramadas as sete taças sobre a terra.
Aqui termina novamente a segunda narrativa da tribulação vista da terra.

Observe que a besta e o falso profeta não são mencionados nos capítulos 4 a 11, porque nestes capítulos João estava no céu, enquanto que a besta e o falso profeta estavam na terra. Pela mesma razão, João vê no céu - capítulo 7, um anjo recebendo ordem para assinalar os 144.000, e no capítulo 14, na terra, João vê os 144.000 já assinalados no Monte Sião junto com Jesus.

Observe também que no capitulo 7 João estava no céu e viu as almas dos mártires na glória, enquanto que no capítulo 14 João estava na terra e viu a ceifa, ou seja os mártires sendo mortos.

Na seqüência, os capítulos 17 a 19 descrevem o reino da besta que se encontra presente na terra desde o capítulo 4, e nos capítulos 20 a 22 volta na seqüência cronológica com o milênio, juízo final e eternidade.

Portanto, para podermos entender os fatos narrados no apocalipse, é necessário colocar os fatos devidamente ordenados na ordem cronológica.

Walter Ponci

48 comentários:

Anônimo disse...

sobre o milenio, vc afirma que:a volta de Cristo ocorrea antes do milenio(pre-milenismo)
ou apos o depois do milenio(pos-milenista)
meu e-mail:nehemias_marthins@hotmail.com
grato pela atenção!

Walter Ponci disse...

respondendo sua pergunta,
O capítulo 19, versos 11 a 21, relata
a volta de Jesus com a igreja que havia sido arrebatada,
e a batalha do Armagedon.
Logo em seguida, no capítulo 20, satanás é preso
e Jesus estabelece o reino milenar (mil anos),
portanto, a volta de Jesus acontece Antes do milênio.
W.Ponci

Anônimo disse...

A PAZ DO SENHOR,QUERIDO APOS O MILENIO DEUS DESTRUIRA A TERRA?E OS SALVOS SUBIRAM P/ A GLORIA?E NÃO FICARAM NA TERRA É ISSO.

Walter Ponci disse...

Deus nunca vai destruir a Terra. Está escrito em Ecles.3:14 que tudo que Deus faz dura eternamente. O que realmente vai acontecer é uma transformação na Terra quando todas as maldições serão retiradas. Se voce ler os capítulos 21 e 22 do apocalipse, com critério, sem espiritualizar os fatos, voce vai perceber que o reino de Deus irá se perpetuar aquí mesmo na Terra, porém em em condições completamente diferentes. Tudo estará mudado, sem mortes, sem doenças, sem pecado, sem violencia, sem desonestidade, sem injustiça, etc. Quando se diz que o salvo morre e vai para o céu, onde ficará eternamente com Deus, este "céu" eterno, após o milenio será aqui mesmo na Terra e não no espaço sideral. é isso que os capítulos 21 e 22 do apocalipse nos mostram.

Anônimo disse...

Interessante eu tbm estou pensando que as taças e as trombetas... são um mesmo acontecimento mais eu tenho uma duvida veja:

em ap 11 v.19 abre-se o templo da arca da aliança.
agora veja em ap 15 v.5
E depois disto olhei, e eis que o templo do tabernáculo do testemunho se abriu no céu.

e em ap 16 v.17 na setima taça:
E o sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e saiu grande voz do templo do céu, do trono, dizendo: Está feito.

a duvida eh em ap 15 v.5
E depois disto olhei, e eis que o templo do tabernáculo do testemunho se abriu no céu.
esse é o mesmo fato que se da na 7º trombeta mas para bater com meu entedimento isso deveria acontecer na 7º taça...

Walter Ponci disse...

O TEMPLO DO TABERNÁCULO
O seu raciocínio lógico está correto, contudo, devemos nos lembrar do seguinte: É praticamente impossível entender a Palavra de Deus através da lógica humana, os propósitos de Deus não são os mesmos dos homens. Observe uma diferença entre Apoc.11:19 e 15:5. Para melhor entendimento, considere o templo do tabernáculo como sendo o símbolo de um quartel general, onde está a presença de Deus com seus anjos, de onde saem as ordens e onde estão os anjos (soldados) executores. Em Apoc.11:19, o templo se abre no final da sétima trombeta, o momento em que o juízo de Deus está cumprido e o propósito é mostrar a arca da aliança significando a vitória e a consumação da ira de Deus. A ira de Deus é mostrada através das vozes, trovões e terremotos, compare com apoc.11:16-18. Em apoc.15:5 o templo também se abre, porém em outro momento, ou seja, antes do início das trombetas e taças e o propósito da abertura do templo nesta hora é para que saiam do quartel os anjos que irão derramar as taças. Resumindo, entenda desta forma: na metade da tribulação o templo se abre para que saiam os anjos executores das taças – apoc.15:5 e no final da tribulação o templo se abre novamente para mostrar a arca anunciando o cumprimento da ira de Deus – apoc.11:19.
W.Ponci

Anônimo disse...

Ok fiquei mais eclarecido muito bom o entedimento.

Anônimo disse...

Porque as trombetas atingem um terço da terra, e as taças atingem a terra inteira?
nas trombetas há um aviso de arrependimento e nas taças os homens blasfemam

Walter Ponci disse...

Já foi demonstrado que João teve a visão da tribulação duas vezes, em uma delas João subiu ao céu quando teve as visões sob o ponto de vista do céu e viu os anjos tocarem as trombetas. Em outra ocasião João viu a mesma tribulação vista da Terra quando foram derramadas as ataças. Estando no céu, quando ele viu um meteoro cair no mar, devido ao grande ângulo de visão, ele viu que o grande monte atingiu somente uma terça parte do mar, no entanto, estando na Terra, o ângulo de visão era bem menor e na visão, para ele, foi como se o grande monte tivesse atingido todo o mar, pois ele não tinha a visão do mar em toda a sua extensão.
Pelo mesmo motivo, estando no céu, ele viu o anúncio do arrependimento, mas não viu que os homens blasfemavam, enquanto que estando na Terra, em contato com os homens, ele viu a blasfêmia dos homens.
W.Ponci

Anônimo disse...

e os selos vc tambem acha q são paralelos as trombetas?

Walter Ponci disse...

Os sete selos do livro não são paralelos às trombetas e taças. O livro selado com sete selos visto por João é o mesmo rolo de livro na visão de Ezequiel. Compare Ez.2:9-10 com Apoc.5:1. Veja que Ezequiel relata que no livro se achavam escritas lamentações, suspiros e ais. Isto nada mais é do que o relato da tribulação. Para fins didáticos costumo dizer que o livro selado é como um grande jornal dando as notícias dos sete anos de tribulação. O primeiro selo, que seria como o primeiro capítulo, informa sobre o evangelho do arrependimento que será pregado durante os sete anos. O segundo selo fala das guerras que acontecerão nos sete anos, o terceiro selo anuncia a fome que vai imperar na tribulação, o quarto anuncia as mortes que serão muitas, toda população do mundo morre até o final dos sete anos, exceto os 144000 judeus assinalados. O quinto selo é a notícia da morte dos que não adoram a besta, o sexto, a morte dos que adoram a besta, e no sétimo selo é que começam as notícias das trombetas e das taças. Portanto, as trombetas e as taças estão embutidas no sétimo selo, que corresponde aos acontecimentos dos últimos três anos e meio da tribulação.
Walter Ponci

Anônimo disse...

eu pensei no livrinho do cap 10 de ap que significa que joão deve profetizar contra os povos,nações e liguas..reis

walter ponci disse...

O texto de Apoc.10:11 se refere às duas testemunhas, que serão dois profetas que darão continuidade às mensagens de arrependimento dirigidas aos povos que ainda estarão na Terra até o final da tribulação

blogponci disse...

Ao visitante MAURICIO MARTON
solicto postar novamente sua pergunta
pois o texto foi perdido no sistema
obrigado
w.ponci

Lucas disse...

a igreja vai pegar a grande tribulação ou irá ser arrebatada antes?

Tenho essa dúvida e ouço vários pontos de vista.

Em 1 Cor 15:52 Paulo diz que ao ressoar da última trombeta os mortos ressucitarão e os vivos serão transformados, ou seja, a última trombeta é o final da grande tribulação, e sabemos que há apenas duas ressurreições, e só é bem aventurado quem tem parte na primeira ressurreição. Ou seja a igreja também vai pegar a grande tribulação, e só antes da guerra do Armagedom é que seremos ressurretos, ou transformados, logo a igreja estará aqui na grande tribulação. Estou correto?

Se preferir responder em meu email eu agradeço meu email é lucorp_18@hotmail.com

se eu estiver errado voce poderia me enviar uma lista enumerando a cronologia dos fatos

exemplo:

1- as bestas dominam o mundo
2- a marca da besta é instituida
3- mortos ressucitam
4- vivos sao transformados
5- bla
6- bla
7- bla

e por ai vai....

isso seria importantíssimo para mim, tenho muita dificuldade justamente por que sei a narrativa de João não está em uma ordem cronológica linear, logo fica ai minha dificuldade.

Walter Ponci disse...

Este texto de 1Co.15:52 é o que mais causa confusão, porque fala da última trombeta antecedendo o arrebatamento, comparado com a última trombeta da tribulação. Isto leva muitos a crerem que toda a igreja passará pela tribulação.

Ocorre que trombeta é um símbolo usado na bíblia que tem o significado de AVISO. Quando encontramos uma trombeta tocando, devemos entender que Deus, ou uma pessoa está avisando ou proclamando algo que está por acontecer. Hoje, no quartel, o soldado toca uma trombeta para avisar que é hora de levantar, ou de se recolher, ou de se reunir, etc.

Basta ler todos os textos bíblicos que falam de trombeta para constatar este fato. Citamos alguns:
Ezequiel 33:3 e, vendo ele que a espada vem sobre a terra, tocar a trombeta e avisar o povo;
Ezequiel 33:4 se aquele que ouvir o som da trombeta não se der por avisado, e vier a espada e o abater, o seu sangue será sobre a sua cabeça.
Ezequiel 33:5 Ele ouviu o som da trombeta e não se deu por avisado; o seu sangue será sobre ele; mas o que se dá por avisado salvará a sua vida.

Quando um pastor está no púlpito da igreja proclamando o arrependimento e convidando o povo a se converter, isto não deixa de ser na verdade, como que uma trombeta tocando avisando o povo que se não se arrepender e não se converter não poderá se salvar.

Portanto a trombeta de 1Co.15:52 não é a mesma trombeta do final da tribulação. Este texto de 1Co.15:52 deve ser interpretado da seguinte forma: Deus está tocando trombeta constantemente conclamando o povo a se arrepender porque em breve Jesus voltará para levar sua igreja. Chegará o momento em que a última trombeta soará e a igreja será arrebatada encerrando oportunidade de alguém ser arrebatado.

Após este fato, durante a tribulação, uma nova série de sete trombetas estarão soando novamente para conclamar o povo a não adorar a besta e nem receber a sua marca. Quando tocar a última trombeta, encerram as oportunidades.

Walter Ponci

Walter Ponci disse...

Respondendo a segunda parte da pergunta, damos a seguir a ordem dos acontecimentos:
1) arrebatamento de uma parte da igreja, a que estiver preparada.
2) Início da tribulação debaixo do comando do anticristo o qual exigirá ser adorado como um deus e instituirá uma marca nos homens para permitir que eles possam comprar ou vender
3) os que não obedecerem serão perseguidos e mortos ou pela espada ou de fome, porém serãop salvos.
4) na metade da tribulação entram em cena as duas testemunhas conclamando o povo a se arrependerem e não receberem a marca da besta nem adorarem a besta. É nesta ocasião que tocam as sete trombetas.
5) ao soar da última, destas sete trombetas, Jesus volta com a igrea arrebatada, o anticristo e seus seguidores são mortos pela palavra de Jesus.
6) Jesus estabelece seu reinado de mil anos aqui na Terra, seguindo-se após isso o juízo final e a eternidade.
Walter Ponci

Anônimo disse...

Prezado Professor, bom dia!
Em qual metade das duas tribulações as duas testemunhas pregarão e por que?
Obrigado!
Salete.
e-mail: salete-moreira@hotmail.com

Walter Ponci disse...

As duas testemunhas irão atuar na segunda metade da tribulação, ou seja, nos últimos 3,5 anos. Está escrito no livro de Daniel que os chamados santos ou os entendidos dentre o povo, que correpondem à igreja que não foi arrebatada, irão ensinar a muitos, porém serão perseguidos e mortos nos primeiros 3,5 anos. Considerando que Deus nunca deixa de anunciar o arrependoimos para os homens, e considerando que na segunda metade da tribulação são todos adoradores da besta, e não há quem anuncie o arrependimento aos homens, então Deus manda seus dois profetas, que são as duas testemunhas para pregar aos homens nessa segunfda metade da tribulação.

aline disse...

so´vai ser salvo oa 144,000?

Walter Ponci disse...

Os 144000 já eram seguidores de Jesus Cristo quando foram marcados. A marca foi estabelecida para que eles fossem preservados da morte e repovoassem a Terra no milênio. Outros também serão salvos durante a tribulação, são todos aqueles que não receberem a marca da besta e não adorarem a besta. Estes não serão salvos da morte, mas sim do inferno, ou seja, morrerão salvos para a vida eterna,enquanto que os 144000 serão salvos da morte durante a tribulação, mas ainda deverão mostrar a fidelidade a Jesus durante o milênio para serem salvos do inferno. Cuidado para não confundir, são duas situações diferentes.

DRY disse...

oi bom dia professor...
sátanas ficara preso e depois será solto como cronologicamente vai acontecer essas coisas?

Walter Ponci disse...

De acordo com o capítulo 20 de Apocalipse, Satanás será preso imediatamente após o término dos sete anos de tribulação e antes do início do reinado milenar (milênio) de Cristo. Ele será solto por pouco tempo no final do reinado milenar de Cristo, sendo logo após lançado no lago de fogo para sempre.

Weslei Oliveira - Brasília disse...

Boa noite, Caro irmão: Gostei muito do seu bog e peço que me esclareça algumas dúvidas:
Onde se encaixam os eventos de MT 24 no apocalipse? Obrigado.

Walter Ponci disse...

O capítulo 24 de Mateus relata os fatos no tempo dos sete anos de tribulação. Não se pode dizer com exatidão o momento de cada acontecimento, mas podemos ter uma noção aproximada da ordem cronológica baseado no rigor e nos detalhes dos registros. No Apocalipse podemos dividir os sete anos de tribulação em três fases: 1) os primeiros três anos e meio quando os judeus estarão autorizados a utilizar o templo, porém no meio de guerras e falsos profetas. 2) os três anos e meio seguintes, quando o anticristo invade o templo e a situação no mundo se torna insuportável. 3) o final dos sete anos, quando Jesus volta com a sua igreja e acontece o último e maior de todos os terremotos e todos os adoradores da besta morrem.
No capítulo 24 de Mateus podemos notar essa mesma divisão em três fases: 1) desde o v.1 até o v.14, como sendo os primeiros três anos e meio da tribulação. 2) desde o v.15 até o v.28 como sendo os três anos e meio seguintes, os piores de todo período. 3) desde o v. 29 até o v.35 vemos o momento em que Jesus volta com a sua igreja, no final dos sete anos da tribulação.
Os vss. 36 a 51 são apenas exortações.
Como eu disse, essa divisão é aproximada pois não existe um rigor absoluto na ordem cronológica registrada. Observe também que os fatos relatados entre os vss. 1 e 14 são muito semelhantes aos que já estão acontecendo no mundo nos dias de hoje, significando que estamos muito próximos do fim, contudo o que está acontecendo no mundo hoje ainda não é a tribulação do apocalipse.

Weslei Oliveira disse...

Obrigado pelos esclarecimetos. Desculpe, mas preciso saber também.
Onde,quando e porque ocorrerão as guerras: armagedon e gogue e magogue?

Walter Ponci disse...

No fim dos tempos haverá duas grandes batalhas, ambas envolvendo Jesus. A primeira, chamada de batalha do Armagedom, acontecerá no vale do Megido, mais ou menos no centro-oeste de Israel, entre o Mar da Galiléia e o Mar Morto. O nome Armagedom provém do nome Megido. Acontecerá no momento em que Jesus estiver voltando com a sua igreja para estabelecer o seu reinado de mil anos, o milênio. Satanás irá fazer com que o anticristo reúna todos os seus seguidores no vale do Megido para batalhar contra Jesus que estará descendo dos céus. Uma única palavra de Jesus faz com que todos os seus inimigos morram. A segunda batalha, que é identificada como Gogue e Magogue, acontecerá no final do reinado de Jesus, de mil anos, quando Satanás irá tentar vários povos para se rebelar contra Jesus que estava no reinado. A bíblia diz que vieram do norte e cercaram o arraial dos santos e caiu fogo do céu e os consumiu. O arraial dos santos é o local onde com certeza seja próximo a Jerusalém. Gogue e Magogue não é uma região específica da época, mas um símbolo de uma região dominada pelo pecado no passado que seria correspondente à região onde hoje é a Rússia e China.

Weslei Oliveira disse...

Mais um vez, muito obrigado pela resposta.
No cap. 6, vercículo 2 do profeta ISAÍAS aparecem serafins, que adoram ao SENHOR. Esses anjos ,por acaso, são os animais descritos em Ap. 4, vercículo 7?
Quem são os 24 anciãos do Ap.4, vercículo 10?

Walter Ponci disse...

Os animais descritos no cap.4 do Apoocalipse são representações dos anjos de Deus. As caracteristicas apresentadas por João desses anjos, correspondem às mesmas características dos Serafins de Isaias.6:2 e dos Querubins em Ezequiel.1:10, 41:18-19. Os 24 anciãos representam a igreja já ressuscitada e arrebatada nos céus. Veja o artigo postado neste blog com o título "A VISÃO DO TRONO".

Pr Eliel do Lago Souza disse...

Você não pode dar a sequencia na íntegra de tudo que vai acontecer? Você não fala nos seus relatos por exemplo do julgamento das obras, das bodas do cordeiro, do julgamento das nações, dos ímpios etc... Seria possível esta descrição? Grato.

Walter Ponci disse...

Pr. Eliel,
agradecemos e acatamos sua sugestão. Na medida do possível estaremos incluindo postagens dos assuntos sugeridos e outros que porventura venham a ser inspirados. Obrigado.

Anônimo disse...

A paz do Senhor!
Partindo do princípio que o local no qual passaremos a eternidade é aqui na terra mesmo, e não no céu,e baseado nos textos de Zc 14:16-20 e Apoc. 21:24-27, me ocorreu um entendimento de que haverá homens (nações) aqui na terra que não estarão na nova Jerusalém,(não estarão servindo a Deus)mas estarão vivendo suas vidas, porém terão que vir dar glória e honra a Deus sob pena de maldição. Estou correto? Uma dúvida que surgiu. Jean. Meu e-mail é jean_buzios@hotmail.com

Walter Ponci disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Walter Ponci disse...

Sua dedução está correta com algumas resalvas.
1) O texto de Zc.14:16-20 se refere ao período do milênio e não da eternidade. A menção do Egito neste texto é simbólica pois no milênio haverá somente descendentes de Israel.
2) As nações vivendo na Terra na eternidade serão todos descendentes de Israel vindos do milênio e que estarão com seus corpos transformados para serem imortais como eram os corpos da Adão e Eva antes do pecado.
3) Não podemos afirmar com segurança se estes povos entrarão ou não na Nova Jerusalém, pois a bíblia não menciona este fato. Os que entrarão com certeza na Nova Jerusalem serão todos aqueles que foram salvos e ressuscitados até o juízo final, tanto do V.T. como do N.T. De fato eles levarão a ela glória e honra Apo.21:24.

Anônimo disse...

Prezado Professor,

Quando o Irmão diz que o local onde os salvos passarão a eternidade é aqui mesmo na terra, no caso, "uma nova terra", este entedimento não iria contra o que Jesus diz em João 14:1-6 ??

Deus o abençoe e parabéns pelo blog!

Gabriel - RJ

Anônimo disse...

Um estudo detalhado do contexto bíblico nos mostra que este planeta Terra não será destruído, mas restaurado quando Deus irá limpa-lo de todas as maldições produzidas pelo pecado. O final do livro do apocalipse deixa claro que a vida eterna será mesmo nesta Terra restaurada. A bíblia diz “nova Terra” porque não será mais igual a esta Terra que conhecemos. É como um carro que entra numa funilaria todo amassado e destruído, e sai um novo carro. É o mesmo carro, mas restaurado. Não há contradição. Combine João.14:1-6 com Apoc.21:9-27. João vê a Nova Jerusalém descendo do céu, e a chama de esposa do Cordeiro. A igreja já não é mais a noiva, mas a esposa. Essa cidade é o lugar que Jesus declarou que iria preparar para a igreja em João:14:1-6.
Se João viu a cidade descer do céu, pergunto: descer para onde? Para a Terra, evidentemente. Portanto nossa vida eterna será na Nova Jerusalém, aqui na Terra, o lugar que Jesus foi preparar.
Walter Ponci

Anônimo disse...

Muito obrigado, por sua imediata atenção!

Realmente faz muito sentido a interpretação trazida à luz da palavra.

Porém o que realmente tem me deixado um pouco em dúvida é, quando Jesus, em João 14.3 diz que iria preparar lugar (nesta parte me dá a entender que o lugar não é aqui na Terra)e que também, além de vir aqui outra vez, Ele nos LEVARIA para junto dEle (nesta trecho entendo que levar é o mesmo que sermos arrebatados ou de alguma outra forma, sermos tirados daqui da Terra).

"E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também".

O céu, morada do Altíssimo que conhecemos como o Paraíso, teria qual utilidade, se vivêssemos a eternidade aqui, nesta Nova Terra? Todos do céu (serafins, querubins, anciãos, arcanjo, anjos...) desceriam e habitariam aqui na Terra, juntamente com todos os que foram salvos?

Desculpe-me pela enxurrada de perguntas. Quando falamos de escatologia as dúvidas são inevitáveis.

Grande abraço, que o Senhor possa continuar te iluminando e te abençoando e mais uma vez, parabéns pelo Blog.

Gabriel - RJ

Anônimo disse...

É importante ter em mente que só podemos entender certos detalhes da vida espiritual quando a bíblia fornece informações detalhadas sobre o assunto. Se a bíblia não fornece informações, então não podemos saber como será, neste caso temos que nos conformar conhecendo somente o que a bíblia relata.
Você disse “O céu, morada do Altíssimo que conhecemos como o Paraíso”.
Quando Jesus disse ao ladrão na cruz que ele estaria no paraíso, sabemos apenas que ele estava salvo e estaria na presença de Deus e de Jesus, porém não sabemos qual é o local físico desse lugar chamado paraíso até que chegue o momento da vida na eternidade. Sabemos que paraíso é um lugar de delícias preparado por Deus, era assim no jardim do Edem, e será assim na eternidade na Terra. Ainda não temos condições de saber, no mundo espiritual, se entre a nossa morte e a vida na eternidade, há um local intermediário como se fosse de “espera”, ou se após a morte já nos encontraríamos diretamente no paraíso eterno. Nunca se esqueça que o mundo espiritual é completamente diferente do mundo material. A bíblia não informa nada a respeito dos anjos no tempo da vida na eternidade, portanto não podemos fazer conjecturas tentando adivinhar se eles estariam vivendo aqui na Terra ou em outro lugar. Se Deus não revelou na sua Palavra, então é porque não precisamos saber. Os anciãos que você mencionou representam a igreja que será arrebatada, essa igreja estará para sempre com Jesus, pois será a sua esposa, que hoje é noiva. No mundo espiritual ainda existe muito mistério que só conheceremos quando chegarmos lá.
Walter Ponci

Anônimo disse...

No teu entendimento, qual é a diferença entre os periodos "tarde e manhã" (ex: ...e fez-se tarde e manhã do primeiro dia; ...2300 tardes e manhãs) com "dia" ou "tempo" (ex: ...tempo, tempos e metade; 1260 dias; ...e te deitarás no teu lado por 40 dias, um ano por cada dia)?

Anônimo disse...

São expressões usadas no sentido profético. Para nós, os ocidentais o dia começa após a meia noite e termina à meia noite. Para os judeus um dia começa às seis horas da tarde e termina às seis horas da tarde do dia seguinte. Portanto uma tarde e uma manhã corresponde a um dia inteiro. No caso da criação discute-se se os dias são de 24 horas ou de longas eras.
Tempo, tempos e metade de um tempo é uma forma simbólica de indicar um período de 3 anos e meio ou 1260 dias. A expressão um ano para cada dia é uma forma de indicar o tempo profético, assim, um dia corresponde a um ano, 7 dias correspondem a uma semana ou 7 anos

Anônimo disse...

BOA NOITE WALTER, GOSTARIA DE SABER OQUE VAI ACONTECER LOGO APÓS O ARREBATAMENTO DA IGREJA, NO CÉU, SEGUE O JUIZO PARA GALARDOES E DEPOIS A CEIA ? COMO ACONTECERAO OS FATOS?

Walter Ponci disse...

Após o arrebatamento da igreja, no céu ocorre as bodas do cordeiro, ou seja a união da noiva de Cristo, a igreja, com Jesus, o noivo. Creio ser esta a ceia mencionada em Mt.26:29. Quanto aos galardões, não encontramos na bíblia nenhum texto que explique o que vem a ser esses galardões, portanto não podemos comentar nada sobre eles, nem mesmo se haverá um juízo para os galardões. Quanto ao tribunal de Cristo mencionado na Bíblia, não é para distribuir galardões, mas entendemos que esse tribunal é o que acontece na hora do arrebatamento. Esse tribunal de cristo é instantâneo, e é o que decide quem estará aprovado ou reprovado para o arrebatamento. Imagine o tribunal de Cristo na parábola das dez virgens, quando cinco são aprovadas e cinco reprovadas.

Anônimo disse...

você acha que a besta pode ser o papa e a igrej a católica?email
jhonny_25d@hotmail.com

Walter Ponci disse...

O apóstolo Paulo diz que a besta não se manifestará enquanto a igreja estiver presente na terra junto com o Espírito Santo. Apesar das “dicas” encontradas nas profecias, é impossível determinar quem será a besta antes do arrebatamento. Muitos acreditam que possa ser o papa, contudo, não passa de conjectura. Não temos condições para “bater o martelo” e afirmar que é ou que não é o papa.

Marciano disse...

Uma dúvida, o próximo acontecimento que devemos ter, digamos assim, já é o arrebatamento?

O falso profeta será conhecido antes?

Walter Ponci disse...

Sem dúvida, o próximo acontecimento que deverá ocorrer será o arrebatamento da igreja que pode acontecer a qualquer momento.
Hoje já existem no mundo muitos falsos profetas, contudo, o falso profeta descrito no capítulo 13 do Apocalipse somente será conhecido após o arrebatamento da igreja pois ele não poderá se manifestar enquanto a igreja estiver na Terra amparada pelo Espírito Santo de Deus. Veja 2Tes.2:6.

carpegiano-brasilia disse...

porque satanas seria apenas preso por mil anos e não destruido mesmo a igreja no ceu ele ainda voltaria para desencaminhar muitos como seria essa cronologia gosteria muito da sua resposta. obrigado e que Deus te abençoe.

Walter Ponci disse...

Quando satanás for solto de sua prisão após o milênio, ele irá tentar os 144000 judeus que repovoaram a Terra nesses mil anos debaixo do reinado de Jesus. Não é a igreja que subiu com Jesus que irá ser tentada por satanás. Por isso é que satanás ainda não poderá ser destruído. A ordem dos acontecimentos será a seguinte: Jesus desce à Terra com a igreja que tinha sido arrebatada, destroi o anticristo e seus seguidores, prende satanás por mil anos e reina na Terra sobre os 144000 judeus que ficaram vivos. Depois dos mil anos, os 144000 já serão bilhões porque irão se multiplicar e quando terminam os mil anos satanás é solto para tentar esses judeus e no final ele é definitivamente lançado no lago de fogo para sempre.